sábado, 23 de abril de 2011

Entre olhares


"Seus olhos [...] se demoravam no rapaz
e ela não sabia como conter o fogo do seu olhar,
como conter sua voz apaixonada,
como não cair em seus braços,
como não lhe contar..."

Os subterrâneos da liberdade.
Jorge Amado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário