domingo, 12 de fevereiro de 2012

Saudade


Saudade de quando você ainda era assim, pequenininha, e eu podia te embalar... Lembro que você sempre foi abusadinha: fora seus pais, só ficava se fosse comigo. Todo mundo ficava feito bobo, esperando os seus primeiros passos, as suas primeiras palavras... Hoje você tá rebelde, não quer mais falar comigo no telefone e me troca pelos meninos da sua rua, só porque eles tem sua idade né? Confesse!

Hoje você só dorme se for com sua mãe, que é pra o "Sucupira" não vir te buscar. Mas e EU? Será possível que eu não posso te proteger de um reles anão que tem os pés virados pra trás?

Mesmo assim, eu me lembro como chorei quando você disse "titia" a primeira vez...

Nenhum comentário:

Postar um comentário