quarta-feira, 14 de março de 2012

Poema pra cantar a saudade


Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
coloriu minhas noites.
Estrelas surgiram no céu
e a solidão noturna
já não dói na minha pele.

Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
me deixou pura.
Não quero o mal de ninguém
e só vejo o que é bonito.
Ele me fez sua branquinha.

Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
me deixou doida.
Doida eu e doido ele,
sozinhos e nus, fazemos
qualquer lugar pegar fogo.

Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
me deixou sozinha.
Choro sua ausência,
venero sua presença
e espero.

Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
me faz sentir sua falta.
A dor é tanta, e ele sabe,
que eu tive que escrever um
poema pra cantar a saudade.

Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
não me deixa desistir.
Insisto e persisto.
Porque ele é
o que tenho de mais bonito.

Como disse o poeta,
é a coisa mais linda que eu já vi passar.

Eu tenho um pretinho que,
de tão preto,
me ensinou que o amor não tem cor.

Um comentário:

  1. Muito boa essa sua poesia. Acho ela completa. Ao mesmo tempo simples, ao mesmo tempo sacana, ao mesmo tempo política, amorosa e bela. É bom poder ver você voltar a postar, nesse jardin que não é só seu, é nosso, e você só tem a nobre missão de guardar.

    ResponderExcluir